Postou isso

Durante a divulgação em Londres da segunda parte da terceira temporada de Fear the Walking Dead, que estreia dia 10 de setembro na AMC Brasil, Daniel Sharman concedeu, entre tantas outras, uma entrevista para a revista Starburst. Durante o bate papo o ator falou um pouco mais sobre Troy Otto, o destino do personagem nos próximos episódios e mais.

Confira a entrevista  completa abaixo:

STARBURST: Tendo interpretado um Deus grego, um bruxo em uma série de vampiros, e um lobisomem, o que te convenceu a tentar os zumbis em seguida?
Daniel Sharman: Bem, eu realmente gostei da ideia desse personagem, eu gostei da ideia de que, dentro desse gênero, a parte mais temível são os seres humanos e sua inconstância. E eu amei a ideia de interpretar um personagem dentro de algo perigoso e de alto risco. A coisa mais assustadora é interpretar um personagem que é mais assustador que a circunstância. Eu sempre penso que é um tópico interessante para se explorar.

S: O sobrenatural é algo que pessoalmente te interessa?
DS: Não, na verdade não. É engraçado, é quase como se eu fizesse isso propositalmente, mas é mais como esses são os únicos trabalhos que me deram. Não posso dizer que selecionei todos estes (trabalhos), eles são apenas os únicos que eu realmente poderia conseguir.

S: O papel de Troy tem sido indiscutivelmente um dos mais interessantes essa temporada; ele é quase como um fusível aceso, você simplesmente não sabe quando ele vai explodir. Como você se aproximou para interpretar um papel como esse, e quando você começou, quanto você sabia sobre onde estaria no final da mid-season?
DS: Eu não sabia nada. Pessoalmente, eu tive o primeiro script e falei com eles, eu queria que ele dosse um personagem completo. Tão extremo como na primeira cena e como esse primeiro episódio é, no fim das contas eu queria que as pessoas acreditassem que ele era uma pessoa real e acreditassem que tem algo sobre Troy que as pessoas poderiam simpatizar. Eu acho que isso foi importante pra mim. Eu tenho muita sorte que os escritores fizeram algo que eu acho detalhado e interessante. Eu acho que isso foi um presente, e eu não tinha ideia, eu ainda não sei realmente o que eles planejaram para ele, mas eu sei que acho que estão fazendo um ótimo trabalho com o personagem e eu acho que eles estão escrevendo algo bem interessante. E é sempre um prazer ir trabalhar e interpreta-lo

S: Como ator, não é incomum criar sua própria história por trás do personagem para ajudar na representação. Isso é algo que você fez com Troy, e caso tenha sido, como isso se alinha com as revelações da infância dele (Troy) que são mostradas durante os episódios.
DS: Como eu disse, eu queria muito fazer dele uma pessoa real. Então esse primeiro script, eu queria criar alguém que teria uma razão para cada uma dessas coisas. Bizarramente, muitas dessas coisas acabaram sendo parte do script. Certos elementos eram diferentes, e então obviamente eu adaptei essa história para se encaixar nesse mundo, mas tem elementos que são bastante parecidos. Eu acho que pra mim a coisa mais importante é que ele teve uma vida muito isolada. Na verdade, eu pensei que esse é alguém que provavelmente não teria sido educado ou que tivesse uma educação muito limitada. Quando isso vem a tona, ele na verdade foi tirado da escola… Eles são escritores muito espertos, eles tem realmente um ótimo senso para construir algo, para criar uma pessoa. Então, depois desse ponto, você pode fazer suas próprias observações, fazer sua própria história. Depois de um certo período, você tem esse encontro das suas ideias e as ideias deles, e isso que é ótimo sobre a próxima metade da temporada; você realmente sente como se pudesse voar um pouco porque você meio que conhece um ao outro dessa maneira. Os atores e os escritores se reuniram de forma criativa dessa maneira, e então você pode explorar e fazer mais coisas, surpreender as pessoas.

S: Você sente como se o vínculo maternal entre Troy e Madison controlou suas tendências mais sociopatas?
DS: Bem, sim. Eu acho que o importante é que ele nunca teve alguém que o admirou em sua vida. Ele teve uma educação atormentada, então quando alguém como Madison entra na vida dele, ele reconhece muitas coisas que ele admira nela. E eu acho que ele admira a ambição dela, mas há muita confusão lá; Troy sentindo coisas pela primeira vez. Então, sim, eu acho que isso controlou as coisas. Eu acho que ele é um observador magnifico, um grande observador, então ele pode ver coisas nela que eu acho que as outras pessoas não veem. Então isso controla certos comportamentos porque pela primeira vez ele vê alguém que ele pode competir ou respeitar, e, portanto, é esse ganho de aprovação que se torna uma grande parte do aprendizado dele, do processo de aprendizagem dele.

S: Tendo sido escolhido como galã anteriormente, foi reconfortante interpretar um personagem que não é tão sofisticado?
DS: É sempre um pequeno alivio não interpretar alguém que precise ser amado ou não precise ser de um determinado jeito. Eu acho que isso é sempre um alivio porque seu cabelo não precisa estar arrumado; você pode ajustar para deixar mais como você é na vida real. Você não precisa observar nenhum dos estereótipos. Você pode apenas fazer as coisas, você não precisa agir de uma certa maneira. Isso é bastante reconfortante, é algo adorável. Você não sente a pressão de ter de ser atraente de alguma forma ou de estar atraído por outro personagem, e então você vive nesse estado de despreocupação, como ator e como personagem, onde você não está observando ou tendo que ser atraente de alguma maneira.

S: Se o apocalipse zumbi acontecesse amanhã, quais seriam as três coisas que você pegaria primeiro do seu apartamento antes de sair?
DS: Todo mundo vai para coisas de sobrevivência, mas eu acho que eu iria para três ótimos dias, e então eu mesmo me mataria. Eu realmente não gostaria de sobreviver por muito tempo. Eu provavelmente tomaria uma grande quantidade de álcool e ficaria completamente acabado por alguns dias, e então encontraria algo com o qual eu poderia me matar. Todo mundo procura por coisas de sobrevivência, mas eu procuraria por três ótimos dias, e então estou fora daqui.

Tradução & adaptação: Equipe Daniel Sharman Brasil