Postou isso

Em Julho deste ano Daniel Sharman esteve em Londres ao lado de Danay García para divulgar a segunda metade da terceira temporada de Fear the Walking Dead. Durante a divulgação, os atores concederam uma serie de entrevistas onde falaram um pouco mais sobre os personagens que interpretam e os novos episódios que estreiam em setembro.

Confira abaixo a matéria feita pelo MyMBuzz traduzida:

“É sempre interessante quando você se entra em uma série que já está estabelecida. Especialmente quando o mundo e as pessoas nele já estão criadas. É uma coisa difícil porque você está se juntando a uma orquestra. E você não pode superar, não pode exagerar certas coisas, mas você tem que acrescentar a essa orquestra, ” disse o novato Daniel Sharman, que interpreta Troy Otto na terceira temporada.

Ainda assim, Sharman já tem alguma experiência nessa área, tendo deixando Teen Wolf para participar de The Originals. “Eu estava interessado em entrar como um personagem e agitar um pouco o mundo. Ele permite que você empurre o mundo até seus limites de alguma forma. Embora seja sempre um pouco mais difícil se juntar a um mundo, me sinto mais seguro me juntando (a um que já existe) do que começando um.”

Entrevistador: Daniel, seu personagem tem um grande impacto na série…
Daniel Sharman: É sempre legal interpretar um personagem que as emoções e ações ditam a ação da série toda. Você sente como se realmente tivesse que fazer justiça e isso é um bom desafio. Mais do que qualquer coisa, eu sinto que ele ganha uma parcela justa de tempo. Os escritores fizeram um trabalho incrível com quem ele é, então eu me sinto sortudo em poder interpreta-lo nesse mundo.

E: Isso ajuda com que ele não seja um personagem substituível?
DS: Eu acho que sim. Ele existe inteiramente nesse mundo e eles vieram para se juntar ao mundo dele. Tem algo adorável nisso. Você não está indo para algum lugar ser o garoto novo na área, eles que estão vindo até você. Quando é seu mundo e suas coisas estão todas ali, isso da uma sensação de assentamento. Você pode ver onde ele crescer, como ele cresceu, sua família. Você realmente conhece quem ele é e isso é mais difícil se você está se juntando a alguém no lugar deles. Você está lidando com isso superficialmente nesse caso, enquanto aqui você consegue vê-lo de verdade – e isso é algo adorável.

E: A palavra ‘sociopata’ gira bastante em torno de seu personagem. É justo?
DS: Não, eu acho que não. Existem características de sociopatia, mas por fim eu acho que ele sente. Eu queria que o elemento sociopata do personagem fosse levado embora. Você não tem que concordar com as ações dele mas você tem que aceitar que elas vem de algum lugar. Interpretar um sociopata é quase fácil, porque não há ramificações e não há identificação com o mundo. Então eu pensei que seria mais interessante não interpretar nesse estereótipo. Claro, a palavra sociopata continua em torno e isso provavelmente sou eu não fazendo meu trabalho direito. Mas é importante pra mim que isso não seja a única coisa que você vê. Espero que você venha a entender ele, para ver que ele acredita que está fazendo aquilo por uma razão.

E: Isso acontece…
DS: [Risos] Oh, bom. Espero que até o final, você chegue a um ponto onde pense, ‘Talvez ele não seja um sociopata. Talvez tenha uma pessoa lá.’

[…]

E: Falando sobre se vestir, como está o olho?
DS: [Risos] Você sabe, está se recuperando. Eu pensei que iria ter essa coisa protética no meu olho indefinidamente, mas sua capacidade de se curar tem sido notável. Eu pensei que poderiam ser uns sete meses, mas eu saí da ‘jaula do olho’ bem rápido. Eu fiquei bastante impressionado com isso.

Tradução & adaptação: Equipe Daniel Sharman Brasil